Animais . Curiosidades


Répteis

  • Não possuem temperatura corporal constante
  • Os répteis actuais são representados por quatro ordens: Crocodiliana (crocodilos, gaviais e jacarés: 23 espécies), rincocéfalo (tuataras: 2 espécies), escamosos (lagartos e serpentes: aproximadamente 7.600 espécies), quelónios (tartarugas, jabutis e cágados): aproximadamente 300 espécies)
  • Necessitam do calor externo para regulação da temperatura corporal
  • As maioria das espécies de répteis são carnívoras e ovíparas
  • A maioria dos répteis vive em zonas tropicais e subtropicais
  • Predominam os predadores, embora algumas tartarugas e lagartos sejam vegetarianos
  • O esqueleto é totalmente ósseo
  • Têm a visão é muito apurada
  • O canal auditivo é pouco desenvolvido
  • Olfacto muito apurado
  • A língua é bifurcada nas cobras e na maioria dos lagartos, transportando informações químicas para o órgão de Jacobson

Katia Ferreira – 2090531

Caracterização
Acima: Lagarto aquece-se ao sol. Em baixo: Cobra em plena muda de pele. A pele começa a soltar-se a partir da mandíbula e a cobra facilita a sua libertação esfregando-se e prendendo-a em ramos.
© Canadian Museum of Nature / Musée canadien de la nature

O  corpo do réptil é coberto por uma pele não mucosa (com poucas glândulas superficiais pois a pele perde a função de órgão respiratório que apresentava nos anfíbios), geralmente com escamas epidérmicas (em filas transversais e longitudinais) ou escudos córneos, o que os torna capazes de viver em meios secos.

A pele é composta por duas camadas principais: epiderme e derme. As escamas são produzidas pela epiderme e são compostas por queratina. Ao contrário das escamas dos peixes, não podem ser removidas individualmente e devem ser substituídas regularmente – muda -, permitindo o crescimento e eliminando o desgaste. As cobras substituem a pele toda de uma vez só, como se retirassem uma meia, mas os restantes grupos de répteis soltam-na em pedaços.

As escamas apresentam frequentemente esculturações que dispersam a luz e reduzem a quantidade de radiação que penetra profundamente no corpo. A pigmentação das escamas é responsável pelas manchas e coloração do corpo, servindo de camuflagem ou exibição. Em alguns lagartos, as escamas evoluíram para “cristas”, “chifres” ou outras formas exóticas, usadas em rituais de acasalamento ou com defesa.

Permanecem zonas de pele fina entre as escamas e escudos, o que lhes dá flexibilidade, que é ainda aumentada pela disposição de fibras na derme, permitindo que uma cobra engula algo até 6 vezes superior ao diâmetro do seu corpo.

A forma e disposição das escamas é característica da espécie, sendo um importante critério de classificação de répteis.

Pele
Visão ao raio-X do esqueleto anterior de um lagarto

O esqueleto é totalmente ósseo, crânio com um côndilo occipital, limitado ventralmente por um palato, que separa as passagens respiratórias e digestivas.

Formado por elementos ósseos, fornece uma sustentação adequada à vida em meio terrestre, ao contrário do dos anfíbios. Com excepção dos crocodilianos, os répteis têm as patas para os lados e não por baixo do corpo, o que os obriga a deslocarem-se rastejando.

Em muitos répteis o crescimento ósseo não termina com a maturidade sexual, o que permite a muitos exemplares atingirem tamanho gigantesco.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: